segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Fazendo Escolhas Certas

Na mesma linha do post anterior, também saiu hoje uma matéria na Época sobre "a cilada dos falsos light". Para ler a matéria completa, clique aqui.

A matéria fala sobre o livro "Fuja das dietas aprendendo a comer: escolha isso, não aquilo", de Herbert Lancha Jr, Editora Manole, que trata das principais escolhas erradas cometidas por quem está de dieta.

Essas escolhas erradas não só comprometem o resultado do seu esforço, mas também desestimulam quem tem uma meta de longo prazo.

Já pensou se você sempre tivesse sabido que é mais jogo pedir um nhoque de batatas do que uma ceasar salad sem graça? Ou um pedaço de pudim de leite a goiabada com queijo?

E a sensação de passar a semana inteira se privando de um monte de coisa gostosa e o resultado na balança ser bem aquém do esperado?
´
Pára pra pensar: quantas vezes você ouviu alguém de dieta dizer que queria almoçar "quiche com salada"? Nunca mais coloquei um pedaço de quiche na boca desde que uma nutricionista me disse que esse prato tem 600-800 calorias! CILADA!!

Um bom resultado para a sua dieta começa por aí: escolhas certas!!!

Lanchinhos

A matéria que saiu no site da Marie Claire hoje só confirma nossas suspeitas: os lanchinhos são um dos principais vilões das dietas. A matéria diz que, segundo um estudo do site britânico www.myvoucherscodes.co.uk, mulheres chegam a consumir até 650 calorias em snacks, sem nem perceber. Para ler a matéria, clique aqui

Dá uma olhada aí na sua mesa de trabalho, gaveta do quarto, etc: barrinhas de ceral, balinhas e afins? Quantos "beliscadinhas" você costuma dar durante a tarde? Joga tudo fora, pelamordedeus!!!

Vou contar uma historinha pra vocês: antigamente eu ia a uma nutricionista que mandava eu comprar um carregamento de snacks no Mundo Verde e afins, que ficavam sempre em uma gaveta aqui da minha mesa. Não tinha um dia que eu não extrapolasse a minha cota. Era só a fome dar uma apertadinha que eu já recorria a um inofensivo Supino... afinal de contas, não eram aquelas 60 kcal que iam fazer muita diferença, certo? Errado... Já dizia minha avó que de grão em grão, a galinha enche o bico, e no final das contas eu enchia era os culotes de gordura.

Dessa vez resolvi adotar um novo método: saio de casa já com lanches programados. Trago na bolsa sempre uma fruta, um sanduíche e uma barrinha de cereal. Assim, além de criar o hábito de pensar antes no que vou comer, não corro o risco de perder a linha.


sábado, 11 de fevereiro de 2012

O Primeiro Tombo

Hoje foi o dia de mais uma pesagem no VP. E o primeiro dia que sai de lá com lágrimas nos olhos.

Depois de mais uma semana completa, subi na balança e... O MESMO PESO! Sério, de matar!!

Peguei meu Jornal Pessoal e relembrei a alimentação da semana toda. Resumidamente, me sobraram 35 Pontos Extras. E malhei quatro dias, o que me daria, em média, 6 Pontos Ativos, que também não foram usados. Alguém consegue me explicar o que aconteceu?
Toda semana, eu tento ao máximo não usar os Pontos Extras nem os Pontos Ativos, justamente porque posso ter errado na contagem de alguma coisa, no tamanho da porção, ou às vezes não sei como os alimentos foram preparados (principalmente porque como muito na rua).
A única coisa que consegui pensar é que essa semana toda eu sai um pouco da minha rotina de alimentação. Estive fora do meu ambiente de trabalho, então tive que "improvisar" em restaurantes novos. Mas, como não sai da linha, não imaginei que o resultado fosse ser tão frustrante.
Outro ponto: a reação da orientadora do VP. A primeira coisa que ela falou: "Você tem certeza que cumpriu os pontos". "Tenho! Me sobraram mais de 30 pontos extras e malhei 4 dias e não usei os ativos". "É, atividade física ajuda, mas alimentação é o mais importante". Aloooou, a Sra. escutou o que eu falei?? Me sobraram pontos!!!
Enfim, o importante é pensar que pelo menos o ponteiro não subiu. E continuar mantendo a linha sem desanimar. Tem que focar na meta e entender que alguns tropeços vão acontecer. 

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Pensamento do Dia

O Maior Aliado

*Desde ja peço desculpas pela falta de acento nesse texto. Meu teclado enlouqueceu.

Todo mundo sabe que atividade fisica eh fundamental para um emagrecimento saudavel. Mais do que isso, ele eh um grande aliado na hora de perder peso. A conta eh simples: emagrece quem gasta mais do que ingere. Matematica de primeiro grau, mas incrivelmente de ser seguida por nos adultos capazes de operacoes muito mais complexas.

Alem disso, a atividade fisica nos faz ganhar massa magra, o que acelera nosso metabolismo, e tonifica o corpo, permitindo um emagrecimento "bonito" (ou seja, dando uma melhorada naquele aspecto ex-gordo pelancudo que todos abominam).

Seria lindo se nao fosse um suplicio fazer exercicio. O coracao parece que vai sair pela boca, o corpo todo doi, o ar nao entra, o suor gruda pelo corpo, uma coisa horrorosa. Mas essa sensacao passa, e a medida que vamos vencendo nossos proprios desafios pessoais, vamos ficando cada vez mais estimulados.

Comecei a correr ha alguns meses, a passos de tartaruga. Alternava a caminhada com o trote por 1 minuto, sempre acompanhada de um profissional de educaçao fisica. O condicionamento fisico veio com muito custo, mas hoje ja consigo correr 4 km, e me inscrevi na minha primeira corrida de 5km.

Deixo com voces um video realmente inspirador, que todo mundo deveria assistir uma vez na vida para aprender que qualquer coisa, o que quer que seja, soh depende de nos mesmos. Basta ter inspiraçao.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

A Primeira Tentação

Tudo muito bem, tudo muito bom, mas quando você menos espera, chega aquele convite que você não pode recusar e que vai colocar o seu planejamento de pernas para o ar. No meu caso, o convite foi para uma festa infantil. Na minha frente, as letras garrafais: "ANIVERSÁRIO DE 4 ANOS DA VALENTINA" me davam frio na espinha. Podiam logo escrever no convite: "venha f**** a sua dieta"! E eu já não conseguia parar de pensar na carrocinha de salgados, nos cachorro quentes, mini hamburger, bolinha de queijo. E, logicamente, no bolo, no brigadeiro, no sorvete, no crepe de chocolate.

Como eu me conheço, tinha certeza que não ia conseguir ficar ali, na beira do precipício, cantando parabéns na frente daquele bando de brigadeiro, sem sucumbir a nenhumzinho. O desafio era não emburacar e comer a mesa inteira.

Sabendo disso, me programei para encaixar alguns "agrados" na minha dieta do dia. Gente, dieta não é pra fazer ninguém infeliz. Estamos fazendo isso para nos sentir mais felizes, mais satisfeitas com nosso corpo, mais saudáveis. E proibir essas delícias do nosso caminho é uma rota fadada ao insucesso. Não é porque eu estou de regime que a Nutella vai passar a não existir na Terra (quem dera...). É só uma questão de se programar para fazer escolhas mais inteligentes.

Nesse dia, almocei mais tarde que o normal, logo antes de sair de casa para a festinha. Assim, eu teria que controlar apenas minha gula, e não meu estômago roncando de fome. Outra ajudinha que usei: bebi muito líquido. Muito mesmo. Isso também ajuda a controlar a boquinha nervosa.

E o principal: sai de casa programada, com as contas feitas, para comer um mini cachorro quente e quatro brigadeiros. Sai da festa super satisfeita e sem explodir minha cota de pontos. Cada brigadeiro pequeno tem 2 pontos, e para o mini cachorro quente contei 3 pontos totalizando 11 pontos. Nesse dia, não fiz outro lanche e jantei uma saladinha que totalizou só 4 pontos.

O Melhor Amigo

Praticamente todos os nutricionistas que fui na vida, em algum ponto, me pediram a mesma coisa: anotar tudo que como. Nunca tinha conseguido seguir essa recomendação.

Desde que comecei no Vigilantes, resolvi levar o tal do "Jornal Pessoal" a sério. E, por incrível que pareça, isso tem turbinado meus resultados de uma maneira que eu jamais imaginei possível. Isso porque não só a gente passa a não "roubar" nos pontos, como passamos também a monitorar nossa sensação de fome de acordo com o que ingerimos, e podemos repetir estratégias que deram certo e deixar as "roubadas" de lado.

Ando sempre com meu Jornal Pessoal na bolsa e anoto imediatamente o que comi após cada refeição e lanche, o horário e minha sensação de fome. No final do dia, anoto o total dos pontos ingeridos e o saldo dos Pontos Extra. Se você não tem o Jornal Pessoal, qualquer bloquinho, agenda, moleskine, serve. O que não pode é não anotar.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

A mais pura verdade

Já faz um tempo que li uma entrevista com a Monica Martelli em que ela falava de uma amiga que estava fazendo dieta há dez anos e nunca emagrecia. Eis que um dia ela encontrou essa amiga num shopping atracada num pacote de jujubas.

E aí, mais uma vez, eu entendi meu erro e de muitos, ao longo de todas as tentativas de perder peso. Eu fazia dieta pros outros, e não pra mim. Nunca me convenci de que aquilo realmente era uma necessidade MINHA, mas sempre achei que seria socialmente mais aceita se tentasse convencer os outros de que estava me esforçando. Comia frango grelhado com salada verde na frente dos outros, mas depois comia uma barrinha de diamante negro escondida. E três bonos. E um sanduíche. E duas bolinhas de sorvete. Assim mesmo, pingadinho, e ia perdendo a contabilidade das calorias. E me enganando de que "amanhã eu recupero".

Inspiração da semana


Jennifer Hudson, a musa dos Vigilantees do Peso.

O Método

O método do Vigilantes do Peso é muito simples e estima a perda de até 1 kg por semana – cada pessoa tem uma quota diária de pontos (ProPontos, na liguagem deles) para consumir por dia. Não é recomendado consumir menos que essa quota, pois pode prejudicar o seu emagrecimento, e eventuais pontos que sobrarem não podem ser consumidos no dia seguinte.

A quota diária é calculada pela sua orientadora logo após a primeira reunião e leva em consideração a idade e peso de cada um. A cada aniversário, ou a cada 6 kg que você perder, a sua quota diária é recalculada. No meu caso, devo consumir 29 pontos por dia.

À essa quota diária, somam-se os Pontos Extras e os Pontos Ativos.

Todos os participantes tem 49 Pontos Extras por semana, que podem ser divididos ao longo da semana ou consumidos em um único dia – em uma festa, por exemplo. O consumo desses Pontos Extra não prejudica o emagrecimento, mas a pessoa pode optar por um emagrecimento mais rápido e não usa-los.

Os Pontos Ativos são gerados por atividades físicas e, portanto, variam de acordo com o tempo e intensidade do exercício praticado. A pessoa tem um prazo de 24 horas para consumir os Pontos Ativos. Assim como no caso dos Pontos Extras, o consumo dos Pontos Ativos não é obrigatório.

Estou fazendo o programa há duas semanas e as principais vantagens que identifiquei foram:

Flexibilidade do Programa: Ninguém entende melhor da sua rotina do que você. Logo, você deverá distribuir os pontos ao longo do seu dia da forma como você entender melhor, e adaptar esta distribuição caso haja imprevistos. Todas as vezes que fui a nutricionistas, elas quase me enforcavam quando eu, com muita vergonha, confessava que havia comido um pão de queijo em uma reunião interminável ou um pedaço de pizza em uma madrugada de trabalho. Me perguntavam por que eu não tinha previsto aquele momento e saído de casa com 28 opções de lanches saudáveis possíveis. O que para elas era crime, no Vigilantes não é – eu posso adaptar a distribuição dos meus pontos de maneira a não extrapolar minha quota diária, mas sem fazer grandes privações.

Frutas livres: E naquele dia em que você está desesperado de fome? Ou teve um imprevisto e emburacou em uma comida com um milhão de pontos? O programa do Vigilantes prevê que as frutas (exceto o abacate, frutas secas e cristalizadas) tem ZERO pontos. Isso mesmo, você pode comer sem peso na consciência. Está com fome? Come uma banana! Ficou acordado até mais tarde do que o normal e ainda tem a mania de atacar a geladeira? Que tal uvas ou cerejas – elas certamente vão saciar a sua vontade de beliscar.

Acompanhamento semanal: O Vigilantes recomenda que você compareça a uma reunião – mesmo que só para se pesar – semanalmente. Isso permite não só que você mantenha um acompanhamento de perto e permaneça constantemente estimulado, mas também que você perceba o que funciona melhor na rotina que você montou.

Preço e Disponibilidade: Nesse quesito, não tem nem o que discutir, o Vigilantes é, inegavelmente, o melhor custo-benefício. Não tem que marcar hora, não tem fila de espera. Certamente há uma reunião há 15 minutos de distancia de você. E o preço é bem camarada: R$50 a inscrição + R$25 por semana. E eles ainda vendem uns combos que tornam o preço ainda mais barato. Mas atenção: se você não for uma semana, perde o pagamento.

Estímulo: Sempre que puder, após a pesagem, assista a uma reunião. As histórias de sucesso e a “vibe” coletiva contagiam e você vai sair de lá com gás renovado para cumprir mais uma semana do Programa.

Mas, como nem tudo são flores, e eu prometo desde já não ser hipócrita neste blog, existem alguns pontos negativos também:

Impessoalidade: Como sua quota diária é calculada de acordo com seu peso e idade, não é levada em consideração sua estrutura corporal e massa muscular. Da mesma forma, seu peso ideal é calculado somente de acordo com altura e peso. Mas, sejamos francos, existe melhor forma de averiguar seu “peso ideal” do que pelo espelho?

Bagunça: Para os iniciantes e, principalmente, para os acostumados a consultórios de nutricionistas, a primeira reunião pode ser um pouco traumática. Em uma fila, paga-se as consultas. Em outra, aguarda-se a pesagem. Por fim, todos sentam em uma sala apertada para aguardar as instruções da orientadora. A primeira vista, parece um grupo de ajuda e você fica até um pouco constrangido por estar lá. Ao final da reunião, a orientadora pede que os iniciantes aguardem para receber instruções especificas – essas instruções são interrompidas por “retardatários” atrasados para a pesagem. A sorte é que você só passará por isso uma vez.

O Susto

Eu já sabia que estava acima do peso. As roupas – aquelas já compradas muito tempo depois de ter deixado o manequim 40 para trás, já não passavam mais dos meus joelhos. Já tinha passado do maior manequim disponível nas lojas que eu mais gostava. Já nem me reconhecia mais em fotos (sim, porque no fundo, a gente nunca se vê do tamanho que realmente está).

Ficava puta quando recebia olhares de reprovação da família e de amigos a cada vez que pedia sobremesa. Muito mais puta quando ouvia alguém me chamando de “gordinha” na rua. Voltava para casa frustrada todas as vezes que não recebia os mesmos olhares masculinos que recebia quando era mais magra.

Por pura insistência da minha mãe (ah, mães, sempre sábias), tomei coragem e fui a uma reunião dos Vigilantes do Peso. Já tinha ido a uma reunião anos antes e comparava as reuniões com um grupo de ajuda de gordinhos. E eu achava que não precisava de tanta ajuda assim, né? Eram só uns quilinhos...

Eis que subo na balança, antes do início da reunião, e quase fui dali direto pro hospital. O susto, o espanto, o horror. Eu, que a vida inteira pesei entre 60 – 70 kg (e nunca fui magrela), estava pesando 81,6 kg!! OITENTA E UM QUILOS E SEISCENTOS GRAMAS!!!

Como era possível estar 18,6 acima do peso que eu considerava ideal? Eu ainda lembrava o dia em que sai do consultório de uma nutricionista aos prantos porque estava pesando 72 kg. E agora eu já pesava 10kg a mais do que isso!!

E foi aí que a ficha caiu. E eu percebi que, no fundo, emagrecer só depende de mim. Da minha força de vontade e dos meus hábitos. E foi assim que, no dia 14 de janeiro de 2012, eu comecei a mudar a minha vida.